Pular para o conteúdo principal

O respeito pelas diferenças


Eu acho que é uma questão muito delicada e as vezes polêmica tratar de religião numa página como a nossa. Abordar o assunto com equilíbrio, respeitando as diferenças, e ao mesmo tempo defendendo uma opinião própria com razoabilidade, sem contudo abrir mão da defesa da verdade, que é de cada um; sem fanatismo, sem paixão partidária, não é assim tão fácil como parece.


O fato é que, infelizmente, em muitos casos, a crença das pessoas deixou de ser uma coisa fundamental para se tornar meramente uma preferência, uma afinidade, uma mera simpatia ou mesmo uma paixão cega e irracional como muitos têm pelo seu time de futebol.
Não importa se está certo ou errado, ganhando ou perdendo, ele é o melhor. E assim muitos transformam um dos esportes mais saudáveis e bonitos num campo de batalha, literalmente falando, desvirtuando toda graça que é uma partida sem rivalidade perniciosa em degradante competição de vida e morte.


Assim, em muitos casos, se tornou a religião.
É verdade que a história mostra que muitas das maiores guerras tiveram por razão a disputa religiosa. Mas seria de se esperar que com a evolução dos tempos, do esclarecimento, das comunicações, etc. houvesse uma tolerância maior entre os crentes, discrepantes que fosse sua profissão de fé.

No entanto o que ainda se vê é um acirramento dos ânimos, a defesa intransigente, não de meras opiniões, mas de territórios, de pessoas, de bens, ao ponto de se chegar ao total desrespeito, a agressão, e em casos extremos a atentados contra a vida de inocentes, de assassinatos frios, de destruição indiscriminada, em geral em nome de um deus que de outro ângulo é descrito como amoroso, justo, compassivo, mas que de repente de vê representado pela face cruel de seus súditos.


É claro, é razoável, que cada um vai defender sua crença, sua verdade, com argumentos sólidos, mas esse debate não dá direito a qualquer das partes agredir, física, verbal ou moralmente os que pensam diferente, mesmo porque, independente da crença, todos somos seres humanos, frutos da mesma criação, com os mesmos direitos, deveres e responsabilidades uns para com os outros.

Enquanto vivermos em sociedade, na mesma aldeia global, somos parte de uma só raça: a raça humana. Somos parte de uma só humanidade, não obstante a cor da pele, o idioma, os costumes, da ideologia política e da religião diferente uns dos outros.

A nossa religião só terá sentido quando soubermos respeitar os outros pelas suas crenças.

Naturalmente isto não significa que seja desrespeito a discordância, o debate educado e até mesmo o proselitismo sadio. Cabe a cada um de nós a defesa de suas crenças e até mesmo talvez afirmar que a crença dos outros não seja verdadeira para nós, embora seja para eles.

Ora, isto é lógico. Se uma crença é diferente da minha e eu não a sigo é porque não a considero verdadeira. Mas e daí? Que direito isto nos dá de condenar os outros? Não cabe a nenhum de nós este papel. E se uma crença há de ser verdadeira, ela deve ser, antes de tudo atraente, principalmente pelo respeito ao direito dos outros de serem diferentes.


Jocalvesmuniz

Assine nosso: Livro de Visitas

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

De volta às origens…

Em Setembro de 2013, Jocalves visitou a sua terra-natal, o Piauí, depois de quase 30 anos de saudades…E quem melhor para declamar seus textos, que o próprio autor???

“Hoje nasceu uma estrela”

“Hoje nasceu uma estrela”
Meu nome é Angie,
nasci dia 5 de julho de 1988
- e sou uma estrela -
Uma pequenina estrela no vasto universo
da humanidade, mas sou uma estrela
brilhante e incandescente
que irradia amor e energia a todo redor.
Sou uma estrela pura,
sem preconceito de raça ou de cor.
Vim ao mundo com uma missão:
Levar alegria onde existe tristeza,
amor onde há ódio,
a paz onde se travam as guerras.
Agora sei que embora seja uma estrela,
não será fácil cumprir esse objetivo,
pois somos muitas, milhões,
que cada dia surgem neste universo
com este mesmo propósito,
mas temos nosso brilho ofuscado
pelos grandes astros orgulhosos,
prepotentes
e a maioria de nós, estrelas,
ou perde seu brilho ou se transforma
noutro grande astro.
Mas eu gostara de atingir o alvo
para o qual vim ao mundo.
Mas só conseguirei se você permitir
que  brilho do meu amor atinja seu coração
Somente assim você irá compreender
o valor de uma estrela que surge.
Somente assim nosso universo
será em breve muit…

Introdução ao Blog

A proposta deste espaço é publicar textos produzidos por uma pessoa muito especial em minha vida - meu pai. Acho, realmente, que somam centenas de textos, poemas, poesias... e que poucas pessoas tiveram acesso até agora. Houve um tempo em que, sempre que chagava uma vista em casa, ele pegava aquela gigantesca pasta e, sentado no sofá, começava a declamar seus melhores poemas... (eu achava um saco - porque é rara a criança que tem paciência para ouvir alguém ponderar ideias profundas em forma de arte). Agora, espero recuperar o tempo perdido, e mostrar a todos o grande artista que é essa pessoa - meu Pai. Obs. A frequência dos posts também dependerá de queridos colaboradores locais.
Consuelo Araújo